Os transtornos mentais são doenças cuja imensidão do sofrimento comumente leva pacientes á tentativa de findar sua vida. Existem algumas maneiras de evitar essa tragédia e por isso é preciso conhecer melhor o assunto sem preconceitos, receios ou interpretações religiosas.

A maioria dos suicidas são pacientes que tratam transtornos mentais como Depressão, Esquizofrenia, Transtornos de personalidade, Dependência química e outros , mas o suicídio também  ocorre com pessoas que não se tratam, muitas vezes por adiar a procura por ajuda ou acreditar que se livrará sozinho de sentimentos como desesperança , angústia constante e descrédito sobre o futuro. As pessoas que tiram sua própria vida, quase sempre alertam familiares, amigos ou profissionais de saúde antes do ato. Os interlocutores podem não dar crédito à essas queixas e chegam a interpretar como tentativa de chamar atenção, falta de religião ou pensamento esporádico acreditando que logo o indivíduo desistirá dessa idéia. Não devemos negligenciar esse pedido de ajuda!É importante entender que perguntar sobre suicídio não estimula ninguém a cometê-lo.

SUICÍDIO

Na mente de um potencial suicida predomina três características: 1. Ambivalência; há um duelo entre o desejo de morte e de vida, o que se quer na verdade é aliviar o sofrimento;2. Impulsividade; o intuito suicida se mantém por um tempo determinado e uma intervenção empática pode diminuí-lo; 3. Rigidez; a mente não enxerga saída para os problemas da vida e é muito difícil ver vantagens em se manter vivo.

O acompanhamento adequado com as diversas intervenções em saúde mental é o único caminho de evitar mortes por suicídio e a sociedade precisa estar mais atenta a essa necessidade!